Homem de 49 anos é preso suspeito de molestar menina de 9 anos em Araquari, no Norte de SC

01/07/2014

No fim da manhã desta segunda-feira, uma auxiliar de limpeza era amparada por familiares enquanto chorava em frente à Delegacia de Polícia Civil de Araquari, no Norte de SC.

Ela havia acabado de saber que a netinha dela, de nove anos, havia sido molestada quando fazia o trajeto entre a casa dela, no loteamento Santa Maria, e a da mãe, no loteamento São Vicente, ambos no bairro Itinga, limite com Joinville.

— Que coisa triste! Por que fizeram isso com a nossa menina? O meu mundo caiu, gente! — lamentava a mulher.

Após dormir na avó, porque a mãe passou a noite trabalhando em uma fábrica de Joinville, a menina decidiu voltar para casa por volta das 9h30 desta segunda-feira, quando acordou.

No trecho de cerca de dez minutos de caminhada entre as duas casas, ela foi abordada por Ademir José da Silva, 49 anos, que a colocou a força no porta-malas do carro dele.

Após ser molestada, a menina foi abandonada em uma rua da localidade Ronco d' Água, também no bairro Itinga, mas em Joinville. Segundo os policiais militares que atenderam a ocorrência, ela estava assustada e chorava muito quando foi encontrada.

Uma pessoa que viu a garotinha sendo levada ligou para a Central de Emergência da PM e informou a placa do Logus verde, de São Francisco do Sul. Os policiais decidiram ir até a cidade vizinha, para onde imaginaram que o homem tivesse ido, mas não o encontraram.

No entanto, quando retornavam para Araquari, pela BR-280, avistaram o carro do suspeito parado nas margens da rodovia no km 30, próximo à Estrada Geral do Porto Grande.

No momento da prisão, segundo a PM, ele se preparava para aliciar novas vítimas, já que conversava de dentro do veículo com pelo menos outras quatro crianças.

Dentro do carro de Ademir José da Silva, a PM apreendeu duas calcinhas, lubrificante e preservativos. Ele, que é natural de Itajaí, no Litoral Norte, foi indiciado por estupro em 1994, além de ter passagens por violência doméstica e lesão corporal.

Ademir foi autuado em flagrante por estupro de vulnerável e sequestro para fins libidinosos. O delegado responsável pelo caso, Rodrigo Aquino Gomes, representou pela conversão do flagrante em prisão preventiva. A decisão da Justiça deve sair em um prazo de 24 horas. Enquanto isso, o suspeito permanece preso na delegacia até surgir uma vaga em uma das unidades prisionais da região.

Durante o depoimento, Ademir optou por permanecer calado. Já a menina de nove anos, que foi vítima, contou como foi agredida em depoimento prestado à uma escrivã. De acordo com o delegado, ela receberá acompanhamento psicológico.

Uma equipe do Conselho Tutelar, que acompanha o caso, trouxe a menina para o Instituto Médico Legal (IML) em Joinville para ela fazer o exame de corpo de delito.

Os crimes

A pena para o crime de estupro de vulnerável que significa ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com menor de 14 anos pode ser de oito a 15 anos de prisão. Já para o crime de sequestro para fins libidinosos é de dois a cinco anos de prisão.

Fonte: A NOTÍCIA

SD REGULADORA DE SINISTRO © 2011

ITAJAÍ/SC - 47 3368-6248 - regulacao@sdreguladora.com.br - Rua Almirante Tamandaré. 393 - Centro - CEP: 88301-430
QUAX Design Inteligente