Morte em academia de Florianópolis reacende discussão sobre risco de atividades físicas entre jovens

16/10/2013

A morte de um jovem de 21 anos em uma academia de ginástica na noite de segunda-feira reacendeu as discussões sobre os riscos da atividade física em jovens considerados saudáveis. Este é o segundo caso registrado em três meses só em Florianópolis.

Leonardo Bernardo se exercitava em uma bicicleta ergométrica da academia que frequentava, em Canasvieiras, no Norte da Ilha, quando teve um mal súbito. Após 40 minutos de atividade, ele teria caído do equipamento e vomitado repetidas vezes. Os primeiros socorros foram feitos por um instrutor da própria academia, até a chegada dos agentes do Corpo de Bombeiros, que também tentaram reanimá-lo. Leonardo, porém, não resistiu e morreu em decorrência de uma congestão. Há três meses, outro caso semelhante também causou repercussão na Capital, quando o lutador de jiu-jitsu Philippe Mira, 26 anos, morreu enquanto se exercitava na esteira de uma academia, em Coqueiros.

Leonardo era assessor parlamentar no gabinete do vereador Edinon Manoel Rosa, o Dinho (PMDB), que o homenageou por meio do Facebook. Era também estudante de Administração da Faculdade Energia, mas havia trancado o curso neste ano. Ele foi sepultado no fim da tarde desta terça-feira no cemitério de Ratones — bairro onde nasceu e residia com a a mãe, o padrasto e a irmã mais nova. Emocionada e em estado de choque, a mãe teve que ser atendida às pressas pela equipe do Samu.

— É difícil acreditar que isso aconteceu. No domingo, ele esteve lá em casa e estava tudo tão bem na família. Era brincalhão, educado e cheio de amigos — conta a tia Ivone Bueno Bernardo, 46 anos.

Em entrevista nesta terça ao Jornal do Almoço, da RBSTV, a proprietária da academia Apollo Evolution, Roberta Müller, afirmou que a vítima havia apresentado um atestado e um termo que "falava dos problemas físicos dele", sem entrar em detalhes. Depois disso, Roberta desligou os dois celulares e não retornou nenhum contato. Ontem, em luto pela morte do rapaz, a academia esteve fechada durante todo o dia.

As causas oficiais da morte de Leonardo não foram divulgadas. O Serviço de Verificação de Óbito (SVO), que realizou o exame de necropsia, não quis repassar a informação à imprensa. A mãe e o padrasto do jovem, que retiraram o laudo, não tinham condições de falar.

::: Médico aponta razões da causa a quem tem pouca idade

A morte do jovem chocou a Capital. Segundo a família, Leonardo tinha hábitos saudáveis, praticava exercícios físicos desde os 16 anos e, com frequência, jogava futebol com amigos. Para o cardiologista e médico do esporte, Tales de Carvalho, coordenador do Núcleo de Cardiologia e Medicina do Exercício da Udesc, muitas podem ser as razões que levam a esse tipo de problema a quem ainda tem pouca idade.

As mais comuns, em geral, são decorrentes de substâncias usadas para acelerar o ganho de massa ou a perda de peso, como anabolizantes e suplementos. Segundo Carvalho, suplemento só é bom quando prescrito por médicos a pacientes com alguma deficiência no corpo. Outra situação que também oferece risco pode estar relacionada a doenças genéticas — a maioria no coração — tão raras que a maioria das pessoas nem sabe que têm, e que não ajudaria a explicar o grande número de casos de morte registrados nos últimos tempos.

— As pessoas têm problemas apesar do exercício, não por causa dele. A atividade física é sempre do bem, principalmente com alimentação adequada e hidratação regular. Essa é a única regra. Tudo o que serve para acelerar os resultados faz efeito, mas também detona com a saúde.

Fonte: Diário Catarinense

SD REGULADORA DE SINISTRO © 2011

ITAJAÍ/SC - 47 3368-6248 - regulacao@sdreguladora.com.br - Rua Almirante Tamandaré. 393 - Centro - CEP: 88301-430
QUAX Design Inteligente