Avó e neta morrem em incêndio criminoso em Criciúma, no Sul do Estado

10/06/2013

Luiza Luciano Borges, de 46 anos, e sua neta Stefanie Luciano Leandro, de oito anos, morreram carbonizadas na noite do domingo, dia 9, em Criciúma, no Sul do Estado. Segundo a Polícia Civil, o incêndio na casa na Rua Manoel Jovino Patrício, no Bairro Vila Rica, teve ligação com o tráfico de drogas. Além das vítimas fatais, outras três pessoas saíram feridas, dois jovens, de 22 e 25 anos, e uma menina de dois anos. A ocorrência mobilizou a Polícia Militar, Polícia Civil e o Corpo de Bombeiros.

Luiza conseguiu sair da casa a tempo, mas quando percebeu que sua neta ainda estava lá dentro, voltou para buscá-la e não conseguiu mais sair. De acordo com informações da Polícia, o filho da vítima, de 22 anos, era usuário de drogas e teria uma dívida de R$ 6 mil com traficantes.

O rapaz vinha sendo obrigado a trabalhar para o tráfico como forma de pagamento da dívida, embora viesse se negando a fazê-lo. O jovem havia deixado o vício, tendo saído de uma clínica de reabilitação há um ano. Na semana passada, ele e seu pai haviam sido agredidos e ameaçados.

Vizinhos perceberam o incêndio que foi anunciado por um dos criminosos com a cobrança da dívida. Material combustível foi espalhado ao redor da residência, que pegou fogo rapidamente. O Corpo de Bombeiros chegou em seguida, mas já encontraram a casa totalmente destruída.

Os corpos de Luiza e Stefanie foram encontrados carbonizados pelos socorristas em um dos quartos da casa. A menina estava próxima à avó, com a cabeça dentro de um armário, provavelmente na tentativa de respirar. Os corpos foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML). A perícia também esteve no local.

Um jovem de 19 anos, foi abordado pela Polícia Civil e entregou outro de 18, e um de 20 , que também foram detidos. Os três foram encaminhados à Central de Plantão Policial (CPP).

O delegado de plantão, João Loss, informou que eles serão autuados em flagrante por duplo homicídio duplamente qualificado, por conta do incêndio, e também pela tripla tentativa de homicídio, com agravante de duas vítimas serem menores. A pena máxima para o homicídio com alguma qualificadora é de 30 anos. Eles deverão ir a júri popular.

Fonte: JORNAL DE SANTA CATARINA

SD REGULADORA DE SINISTRO © 2011

ITAJAÍ/SC - 47 3368-6248 - regulacao@sdreguladora.com.br - Rua Almirante Tamandaré. 393 - Centro - CEP: 88301-430
QUAX Design Inteligente