Pais devem atualizar caderneta de vacinação de crianças até cinco anos a partir deste sábado

14/08/2012

Pais terão a chance de colocar em dia a caderneta de vacinação de crianças até cinco anos a partir deste sábado, dia 18 de agosto. O Ministério da Saúde lançou ontem a campanha e anunciou a inclusão de duas novas vacinas no calendário básico de imunização infantil: pentavalente e poliomielite inativada.

A mobilização nacional vai até o dia 24 de agosto. Estarão disponíveis em 34 mil pontos do país todas as vacinas do calendário básico de vacinação infantil (veja o quadro). Mesmo que os pais achem que o esquema está completo, é importante ir ao posto de saúde para avaliação da caderneta. Quem perdeu o documento também deve procurar o serviço.

— Melhorar a cobertura vacinal das crianças significa diminuir o risco de transmissão de doenças que podem ser evitadas — disse o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, no lançamento da campanha.

Foram investidos R$ 18,6 milhões na campanha, que contempla também suplemento de vitamina A para crianças que residem nas regiões Norte, Nordeste e nos vales do Jequitinhonha e Mucuri, em Minas Gerais. A medida integra o Programa Brasil Carinhoso, lançado em maio desde ano com a meta de superar a extrema pobreza na primeira infância.

O Rio Grande do Sul receberá 40,1 mil doses da vacina contra a pólio inativada e 70 mil da polivalente. O público-alvo da campanha totaliza 14,1 milhões de crianças no país.

As novas vacinas

Pentavalente: é injetável e reúne em uma única aplicação a proteção de duas vacinas distintas, a tetravalente, que deixa de ser ofertada e protege contra difteria, tétano, coqueluche e Haemophilus influenzae tipo b (meningite e outras doenças bacterianas) — e a vacina contra a hepatite B. Será administrada aos dois, aos quatro e aos seis meses de vida.

Pólio inativada: crianças que nunca foram imunizadas contra a paralisia infantil irão tomar a primeira dose aos dois meses e a segunda aos quatro meses, com a vacina poliomielite inativada, de forma injetável. Já a terceira dose (aos seis meses), e o reforço (aos 15 meses) continuam com a vacina oral, ou seja, as duas gotinhas. Enquanto a pólio não for erradicada no mundo todo, o Ministério da Saúde continuará a utilizar a vacina oral contra a poliomielite.

Heptavalente

Quando ocorrer a erradicação da poliomielite no mundo, a vacina injetável contra a paralisia infantil será incluída na pentavalente, junto com a vacina meningocócica C (conjugada), transformando-se na vacina heptavalente. Então, as gotinhas deixarão de existir. Os laboratórios Bio-Manguinhos, Butantan e Fundação Ezequiel Dias (Funed) estão desenvolvendo o projeto. A previsão é que a vacina heptavalente esteja disponível no Programa Nacional de Imunizações dentro de quatro ou cinco anos.

Fonte: BEM-ESTAR

SD REGULADORA DE SINISTRO © 2011

ITAJAÍ/SC - 47 3368-6248 - regulacao@sdreguladora.com.br - Rua Almirante Tamandaré. 393 - Centro - CEP: 88301-430
QUAX Design Inteligente