Vigilância admite dificuldade em descobrir local da contaminação de botulismo

08/04/2011

Pelo que informaram ontem a Diretoria da Vigilância Sanitária de SC e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), deve demorar para descobrir onde ocorreu a contaminação do lote da mortadela Pena Branca que resultou na morte por botulismo da dona de casa Benta Janaína Lamego, 36 anos, moradora de Araquari, em 7 de março. Outras cinco pessoas foram contaminadas pela neurotoxina que causa a doença.

O diretor substituto do departamento de inspeção de produtos de origem animal do ministério, Marcius Freitas, diz que, no momento, não pode apontar onde ocorreu a contaminação.

A diretora da Vigilância Sanitária de SC, Raquel Bittencourt, disse que entregou à Penasul os laudos da investigação no alimento. A entrega marcou o começo do processo administrativo sanitário anunciado na quarta. A diretora afirma que, mesmo com a investigação, não é possível determinar onde ocorreu a contaminação.

Segundo ela, a inspeção feita nos quatro mercados em Araquari e Guaramirim não constatou anormalidades. Agora, cabe à empresa apresentar sua defesa, que será analisada pela secretaria.

O ministério informou que a linha de produção da mortadela com toucinho da empresa Penasul, que teve o lote produzido em 17 de fevereiro contaminado, permanece suspensa. O ministério reconhece que a informação de que a empresa poderia retomar a fabricação foi erroneamente divulgada pela assessoria de imprensa na quarta.

A produção está interrompida desde 10 de março até que o ministério receba o resultado de exames de amostras da mortadela. A previsão de entrega é semana que vem.

— Mas a gente não pode dizer hoje quem errou —, diz Freitas. As amostras foram recolhidas na fábrica de Roca Sales, na serra gaúcha, em 14 e 16 de março. A empresa não tinha o lote em estoque.

O que diz a empresa

A assessoria de imprensa da Penasul, marca ligada à empresa Seara, do grupo paulista Marfrig, confirmou a suspensão da linha de produção até que seja liberada pelo Ministério da Agricultura. A assessoria informou também desconhecer a notificação feita pela Diretoria da Vigilância Sanitária de Santa Catarina ao frigorífero localizado na serra gaúcha.


Fonte: A NOTÍCIA

SD REGULADORA DE SINISTRO © 2011

ITAJAÍ/SC - 47 3368-6248 - regulacao@sdreguladora.com.br - Rua Almirante Tamandaré. 393 - Centro - CEP: 88301-430
QUAX Design Inteligente