Equipe de bombeiros atuará 36 horas seguidas na busca por vítimas de desabamento

26/01/2012

A equipe de bombeiros que atua na busca por vítimas de desabamento de prédios no Rio já está no local desde a noite desta quarta-feira, mas o seu turno de trabalho ainda está longe do fim. Segundo o soldado Filipe Schorn Coimbra, do Corpo de Bombeiros do RJ, o grupo que chegou ao local pouco depois do desabamento só deve ser rendido na manhã de sexta, cerca de 36 horas após o início dos trabalhos.

Gaúcho de Pelotas, Coimbra mudou-se para a capital fluminense há cinco anos, depois de atuar como policial militar em Porto Alegre. Ele trabalha na equipe dos bombeiros que usa cães treinados para localizar vítimas.

Por telefone nesta tarde, o soldado falou a ZH direto do local do desabamento, na área central do Rio. Naquele momento, os bombeiros procuravam vítimas usando máquinas para escavar os pontos sinalizados pelos cães farejadores. Concentrado em locais específicos e sem uma visão geral do trabalho de busca, Coimbra não soube precisar o número total de corpos encontrados, que varia entre três e cinco, pois há informações desencontradas. A Defesa Civil municipal fala em cinco mortos e a estadual, em três. Coimbra diz que participou, ainda durante a noite de quarta, do resgate de dois sobreviventes.

Mas a busca ainda está longe do fim, afirma o gaúcho. Descanso, só para os cães. Enquanto as máquinas escavam os escombros, os animais repousam em um veículo especial. Treinados para atuar em sempre parceria com um bombeiro específico (com quem formam a unidade denominada “binômio”), os cães também serão substituídos quando chegar a nova equipe de resgate.

Números desencontrados

O subsecretário de Defesa Civil do município, Márcio Mota, informou no final da manhã desta quinta-feira que foram encontrados cinco corpos nos escombros dos três prédios que desabaram no centro do Rio de Janeiro. Mas o número de vítimas fatais é diferente, segundo o secretário estadual de Defesa Civil, coronel Sérgio Simões, que afirma que morreram três homens no desabamento.

Simões disse que os bombeiros "correm contra o tempo" porque o período máximo de encontrar sobreviventes é de 24 horas depois do acidente, ou seja, até as 20h30min desta quinta-feira. Segundo o secretário, os corpos encontrados até agora foram levados para o Instituto Médico Legal (IML). Um grupo de famílias será levado ao IML para tentar reconhecer os corpos.

— Agora é uma corrida contra o tempo, estamos priorizando a possibilidade de haver sobreviventes. A chance vai diminuindo, porque os espaços vão se reduzindo — afirmou o secretário.

Segundo Simões, embora ainda seja cedo para apontar as causas do acidente, "tudo leva a pensar que, na obra que estava sendo realizada (no edifício Liberdade), alguma estrutura importante do prédio foi danificada".


Fonte: A NOTICIA

SD REGULADORA DE SINISTRO © 2011

ITAJAÍ/SC - 47 3368-6248 - regulacao@sdreguladora.com.br - Rua Almirante Tamandaré. 393 - Centro - CEP: 88301-430
QUAX Design Inteligente